MANIFESTO DA DIRECÇÃO: Este blogue “www.sortesdegaiola.blogspot.com”, tem como objectivo primordial só noticiar, criticar ou elogiar, as situações que mais se distingam em corridas, ou os factos verdadeiramente importantes que digam respeito ao mundo dos toiros e do toureio, dos cavalos e da equitação, com total e absoluta liberdade de imprensa dos nossos amigos cronistas colaboradores.

terça-feira, 16 de janeiro de 2018

Quem concorre a Vila Franca ???

Resultado de imagem para praça de toiros vila franca

Quem concorre a Vila Franca na 6ª feira ???
Resultado de imagem para ricardo levesinhoResultado de imagem para antonio manuel cardoso nene

Fala-se muito dos Srs Levesinho e de António Manuel Cardoso, mas será que não concorre mais ninguém ???

Resultado de imagem para ponto de interrogaçãoResultado de imagem para ponto de interrogação

Estou convencido, de que há mais empresas com provas dadas e virgens nesta praça, que poderão concorrer e que têm condições para desenvolver um bom trabalho...

Vamos esperar !!!...

A "FESTA" pode implodir ???

A Festa pode implodir...



 

Diz o dicionário: “Implosão = rebentamento para dentro, conjunto de explosões combinadas de modo a que os seus efeitos tendam para uma área limitada central.

O título de hoje nasceu de uma conversa que tive há dias com um amigo, que inconformado, perspicaz e inteligentemente me disse que temia mais a implosão da “Festa” que a acção dos antitaurinos,  que defendia que se devia defender a nossa paixão com todas as forças secundarizando os interesses pessoais de cada um.
Tenho pensado á séria nas suas palavras. E encontrei inspiração num livro do meu amigo Eng. Manuel da Costa (vulgo Manel da Quinta), a quem já escrevi “P’ra que a terra não esqueça”, e que é tão só, para mim, uma das maiores referencias de inconformismo sério, aliado a uma rebeldia brilhante.

O que representam os “xaxas” dos antitaurinos, quando comparadas as suas acções com as guerras dentro da "FESTA" com atentados á liberdade de imprensa que já se registaram por parte de algumas empresas, com invejocas tolas, que juntas dão uma imagem treceiromundista ao mundillo?
E que dizer da forma como são montadas certas corridas no Norte, e a opção de alguns cavaleiros que ali vão tourear, o fazerem experimentando cavalos novos, sabendo que essas corridas nessa região normalmente metem gente que paga tanto ou mais que no Sul ???
Outro exemplo : Os Forcados não podem ter a sua bela e perpétua imagem de artistas ásperos e românticos, orgulhosos da sua diferença, soberbos, idealistas, nobres e audaciosos, misturada com problemas de ordem pessoal de alguns, por muitas razões pessoais que estes tenham, e se calhar até têm… ou julgam ter.



É evidente que haverá razões emocionais para melindres e razões doutra ordem, porém, o momento que a “FESTA” atravessa e que levou, em boa hora, á criação da “P’ró Toiro, tem que forçosamente esbater estes desencontros, sob pena de tudo não passar de uma palhaçada para “Inglês ver”, tornando débil o esforço da Drª Canavilhas, do Dr. Santana Lopes e do Dr. Sumavielle, abrindo ao País profundo aquilo que para nós é um couto épico, um mito fundador e explicativo do ordenamento de uma arte e mesmo de uma certa forma de estar no mundo que, gera esta paixão que nos enleia.
Falar de união das forças do mundo do toiro e continuar com divisões, faz-me lembrar, o celibato dos padres nos dias de hoje, como escreveu Manel da Quinta, embora noutro contexto, que é este: Que importa o celibato dos padres se depois os escândalos de pedofilia e etc. se multiplicam com força e visibilidade?

O cumulo da desunião e das guerrinhas tolas, aconteceu há tempos quando um empresário se insurgiu contra um apoderado por este ter oferecido bilhetes da corrida a pessoas de quem o dito empresário não gostava. A propósito deste episódio, vou contar uma história. Era uma vez um canalizador que foi reparar uma rotura a uma mercearia. Ao sair para almoçar comprou uma grade de minis, que cá fora ofereceu a uns “bacanos” seus amigos que por sinal, não constavam das simpatias do dono da mercearia. Á volta da refeição, o merceeiro sabendo a quem o canalizador ofereceu a grade, disse: “Queres que ponha uma grade a refrescar para levares á tarde para os teus amigos?” o Canalizador riu-se e o merceeiro replicou. “A minha missão aqui é vender e servir bem os clientes… O que o tal empresário devia ter feito era perguntar se o dito apoderado não queria antes bilhetes de sombra ou mais bilhetes para outra corrida para os mesmos tipos...

Concluindo, na "FESTA" não se deve marginalizar ninguém, e as guerras se as houver, devem ser estritamente pessoais e sem visibilidade, com pena da "FESTA" rebentar por dentro = Implodir..

Tive sempre uma ternura muito especial pelos hippies, e por isso vou recordar a sua frase mais célebre ”Make love, not war” = faça amor, não á guerra. Plagiando a ideia, digo eu para abranger mais gente. “ quem não é capaz de fazer amor, pelo menos não faça guerra…

O que é ser amigo ???

Um artigo genial de Mig. Esteves Cardoso...

Com a devida vénia, publicamos esta crónica de Miguel esteves Cardoso, que vem ao encontro daquilo que pensamos..



O que Distingue um Amigo Verdadeiro

Não se pode ter muitos amigos. Mesmo que se queira, mesmo que se conheçam pessoas de quem apetece ser amiga, não se pode ter muitos amigos. Ou melhor: nunca se pode ser bom amigo de muitas pessoas. Ou melhor: amigo. A preocupação da alma e a ocupação do espaço, o tempo que se pode passar e a atenção que se pode dar — todas estas coisas são finitas e têm de ser partilhadas. Não chegam para mais de um, dois, três, quatro, cinco amigos. É preciso saber partilhar o que temos com eles e não se pode dividir uma coisa já de si pequena (nós) por muitas pessoas.

Os amigos, como acontece com os amantes, também têm de ser escolhidos. Pode custar-nos não ter tempo nem vida para se ser amigo de alguém de quem se gosta, mas esse é um dos custos da amizade. O que é bom sai caro. A tendência automática é para ter um máximo de amigos ou mesmo ser amigo de toda a gente. Trata-se de uma espécie de promiscuidade, para não dizer a pior. Não se pode ser amigo de todas as pessoas de que se gosta. Às vezes, para se ser amigo de alguém, chega a ser preciso ser-se inimigo de quem se gosta.

Em Portugal, a amizade leva-se a sério e pratica-se bem. É uma coisa à qual se dedica tempo, nervosismo, exaltação. A amizade é vista, e é verdade, como o único sentimento indispensável. No entanto, existe uma mentalidade Speedy González, toda «Hey gringo, my friend», que vê em cada ser humano um «amigo». Todos conhecemos o género — é o «gajo porreiro», que se «dá bem com toda a gente». E o «amigalhaço». E tem, naturalmente, dezenas de amigos e de amigas, centenas de amiguinhos, camaradas, compinchas, cúmplices, correligionários, colegas e outras coisas começadas por c.

Os amigalhaços são mais detestáveis que os piores inimigos. Os nossos inimigos, ao menos, não nos traem. Odeiam-nos lealmente. Mas um amigalhaço, que é amigo de muitos pares de inimigos e passa o tempo a tentar conciliar posições e personalidades irreconciliáveis, é sempre um traidor. Para mais, pífio e arrependido. Para se ser um bom amigo, têm de herdar-se, de coração inteiro, os amigos e os inimigos da outra pessoa. E fácil estar sempre do lado de quem se julga ter razão. O que distingue um amigo verdadeiro é ser capaz de estar ao nosso lado quando nós não temos razão. O amigalhaço, em contrapartida, é o modelo mais mole e vira-casacas da moderação. Diz: «Eu sou muito amigo dele, mas tenho de reconhecer que ele é um sacana.» Como se pode ser amigo de um sacana? Os amigos são, por definição, as melhores pessoas do mundo, as mais interessantes e as mais geniais. Os amigos não podem ser maus. A lealdade é a qualidade mais importante de uma amizade. E claro que é difícil ser inteiramente leal, mas tem de se ser.

Toiros- História dum bezerrito escondido pela mãe...


O cinema e os toiros- Moita da Cruz...


LOS TOROS E EL CINE

Resultado de imagem para o cinema e as touradas

A  cinematrografia já cumpriu um século, e nesse centenário, muitos cineastas em Espanha e fora dela, se ocupara de temas taurinos.  Em 28 de de Dezembro de 1895, no Grande Café, de Paris, os irmâos Lumière, apresentaram o seu invento referente á cinematrografia. Apenas depois da primeira câmara primitiva de Albert Propmio, fez-se a a primeira exibiçâo de cine em Espanha. Foi em 15 de Maio de 1896, intalando-se o projector num local do edificio do hotel Russia, no nº 34, hoje 32, a rua de San Jerónimo, de Madrid.
Depos de terem sido diversas provas em Espanha, Eduardo Jimeno, durante as festas de Outubro do ano de 1896 em Zaragoza, filmou uma reportagem da saída da missa da Basílica del Pilar.O primeiro tema taurino com o título de «Arrivèe des toreador», se rodou em 18 de Outubro de 1896.  A prjecçâo durou um minuto, e apareciam imagens de gente saindo da Praça de Touros de Madrid, na chamada «carretera de Aragón», ou de Fuente del Berro, que ocupava o solar donde se encontra hoje o Palácio de Desportos da Comunidade de Madrid, ao final da Avenida de Filipe II..
 Desde 1898 a casa «Lumière produziu entâo, películas de assuntos taurinos, tais como «Bandarillas I e II».  «Ttranslado de los Cojones», «La Lidia», «Estocada», «Picadores», «Muerte del Toro», e mais de trinta e tal, agrupando-se bob o título «Courses de Taureaux».

MOITA DA CRUZ

segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

2018 - D. Ventura em França- Em grande...

Resultado de imagem para diego ventura arles

Segundo nos informou o nosso correspondente em França Fredy Port, Ventura toureará na feira de Arles com Andy
Cartagena e L. Hernandez toiros de S. Pelayo, e na mais importante corrida de rejoneio deste País "Rojon D'or" em Méjanes..

Resultado de imagem para diego ventura arles

Miguélin por Moita da Cruz...


MIGUELÍN -

Resultado de imagem para miguelin torero

Toureiro completo, MIGUEL MATEO «MIGUILÍN», possuía amplos conhecimento e grandes faculdades, tudo o que fazia parecia fácil, mas com falta de ânimo. Toda a aficion sabia dos seus gandes dotes toureiros, do que podia fazer e onde poderia chegar, mas a falta de querer, levou-nos á conclusâo...posso mas nâo quero. Nasceu a 19 de Março em Murcia, embora tenha sido criado em Algeciras. A alternativa lhe a outorgou Luís Miguem «Dominguín», com César Girón de «testigo». Bandarilhava superiormente em todos os terrenos, e toureava de capa e muleta de maneira esquisita, como estoqueador era bem dotado da maneira como o fazia. Depois de retirado sempre afirmou que foi o toureiro que quiz ser.
MOITA DA CRUZ

Os pesos exagerados dos toiros...

Os pesos dos TOIROS...





Ao ler nas “Praças”, os pesos dos toiros anunciados antes das lides, fico quase sempre com a sensação de que as balanças dos curros não estão afinadas, pecando por excesso.

Esta situação seria melhor disfarçada, se em vez de vir um tipo para o meio da praça com um placard, o peso fosse exposto por cima dos curros, como se faz em Espanha, além de – atendendo á duração das corridas - se poupar 9 minutos (tempo controlado por mim).

Dando de barato os habituais 20 ou 30 quilitos, o público não papa erros de 60, 70 ou mais quilos, quanto mais não seja, por assim não fazer sentido dizer de forma jocosa que, ao peso do toiro se juntou o do maioral.

Meus amigos, a verdade neste caso como em muitos outros, pura e simplesmente não tem graça.

Os 20 ou 30 quilos podem ser justificados asssim:

A --- 1,5 Kg de estrume que os toiros transportam nas patas e que se desprendem no piso de cimento dos curros após a pesagem.

B --- 0,5 Kg de moscas e carraças poisadas e agarradas aos toiros que são pesadas junto com estes.

C --- 1 Kg de pó que se liberta da lombeira dos toiros ao entrar na arena.

D --- 9 Kg de fezes e urina que os animais soltam durante as horas que estão encorralados.

Todo o exposto, prefaz aproximadamente, mais mosca menos mosca, mais fezes menos fezes, mais urina menos urina, o valor de + ou -, 13 quilos, numero que podemos arredondar para os 15Kg.

Se juntarmos a esses 15 Kg, mais 10 de coeficiente de cagaço das empresas, em temerem anunciar peso a menos, chegamos aos 25 Kg de média.

Porque não ponho em dúvida a honestidade das empresas, só posso atribuir os pesos exagerados ás balanças mal aferidas, e por essa razão telefonei para a “DECO” ( defesa do consumidor), onde me informaram da maneira como posso apresentar queixa, o que recusei subliminarmente atendendo ao facto de confiar – como já atrás afirmei – na seriedade das empresas.

Foi-me dito igualmente, que além do organismo oficial de controle de aferições, os sr.s empresários podem recorrer á empresa KERN fundada em1841 cujo o telefone é 0743319933, extensão 133.

Para as empresas que queiram tratar do assunto pessoalmente, junto o itinerário que está disponível no GOOGLE.


Pela B 463 (Bodensee - Albstadt):Entre na A81 Singen em direcção a Stuttgart e tome a saída "Villingen-Schwenningen, Rottweil-Süd" e entre na estrada federal B27. / Siga esta estrada, passando por Rottweil em direcção a Balingen. / Na saída "Balingen Industriegebiet Gehrn" volte à direita. / No próximo cruzamento, volte à esquerda em direcção a Balingen Stadtmitte. / Passe logo para a faixa do lado direito, seguindo em direcção a "Sigmaringen, Albstadt", voltando à direita na saída "Frommern Gewerbegebiet" em direcção "Balingen, Frommern". /Aprox. 100m depois da placa da localidade Dürrwangen volta à direita em direcção a "Ziegelei, Waldorfschule". /Atravesse a passagem de caminho de ferro e volte imediatamente à direita. Como vê é fácil, finalmente chegou ao seu destino...

Termino esta crónica, certo de estar a prestar um bom serviço á “FESTA”, contribuindo assim para a aproximação dos Sr.s empresários á verdade que, certamente tanto os preocupa…