MANIFESTO DA DIRECÇÃO: Este blogue “www.sortesdegaiola.blogspot.com”, tem como objectivo primordial só noticiar, criticar ou elogiar, as situações que mais se distingam em corridas, ou os factos verdadeiramente importantes que digam respeito ao mundo dos toiros e do toureio, dos cavalos e da equitação, com total e absoluta liberdade de imprensa dos nossos amigos cronistas colaboradores.

terça-feira, 25 de julho de 2017

Carta a M. Ortega Claudio...

Senhor Miguel :

 Não gosto que tentem abandalhar os meus amigos em público, assim como não gosto ver desrespeitados os toureiros e as ganadarias.
Já por várias vezes tinha lido considerações suas, como aquela de que o toiro tinha tido azar com o toureiro que lhe coube em sorte (referindo-se a um jovem maador de toiros), e outras que seria exaustivo citar.
Sobre essas formas acnhincalhantes já tinha escrito neste blogue há pouco tempo, uma croniqueta sem nomear nomes, intitulada : "Há que respeitar os toureiros..."
Compreendo que não se goste de um toureiro como pessoa ou pelo seu toureio, eu próprio tenho as minhas simpatias, e até conheci uma grande figura do toureio apeado que detestava como pessoa e admirava profundamente como toureiro, e reconheço que posso ser acintoso com quem não gosto rossando por vezes a injustiça, mas nunca tento achincalhar, julgo eu, a menos que seja provocado...
A história das NALGAS é de mau gosto, porque como calcula, não é a mesma coisa dizer que o senhor deixou de ser critíco taurino e apoderado, ou dizer que o senhor virou as nalgas á critica taurina e aos toureiros que apoderou, como não é a mesma coisa dizer que foi cobardemente agredido em Évora, ou que cobardemente lhe deram umas nalgadas nessa cidade.

Esta história das nalgas foi a gota de água...

Perante o exposto, e muito mais podia dizer, só me resta despedir com correção e não com um brejeiro : Vá levar nas Nalgas...


Crónica da Figueira...

Numa corrida que se seguiu com interesse, ficou-me na retina um cavalo novo de Luís Rouxinol (CAJÙ) de pura raça KWPM... Fixem este cavalo.

Participaram nas cortesias os Maestros José Júlio, Mário Coelho e Ricardo Chibanga, que ali foram homenageados e que me fizeram recordar o quanto lhes devo na minha formação como aficcionado, porque foi naquela praça que nasci para a "FESTA".
 Resultado de imagem para jose julio mario coelho e chibanga
Os toiros da ganadaria Prudêncio cumpriram proporcionando boas lides, já os da ganadaria Veiga, tirando o 2º lidado por M. Dias Gomes, não saindo mal, não sairam tão bem como é hábito nesta prestigiada ganadaria. 

LUÌS ROUXINOL

Teve neste dia uma das melhores actuações, senão mesmo a melhor que lhe vi esta época.
Nos compridos com o "CAJÚ" arreou ferros com verdade e ainda um curto com este cavalo.
Nos curtos com o "Douro"         esteve brilhante.
A duas mãos bandarilhou com a eficácia costumeira..

LUÍS ROUXINOL JR

Não acusando o peso da alternativa, voltou a provar que é um toureiro do futuro.
Bem a cavalo, desembaraçado, com sentido de lide e com enorme margem de progressão.

TOIRO a DUO

Pai e filho desenvolveram uma lide interessante baseada no movimento e na espectacularidade... 

TÓ JÓ FERREIRA

Tocou-lhe o pior lote. No 1º toiro esteve variado com o capote e com a muleta pela mão direita esteve bem, já que pela esquerda o toiro tinha problemas.
No 2º toiro esteve esforçado tentando contornar as dificuldades do toiro.

 M: DIAS GOMES

Boa e sentida faena ao seu 1º toiro onde a arte esteve sempre presente.
Bem com o capote com verónicas de fino recorte e ótimo com a muleta.
No 2º toiro com o vento e com um toiro complicado, este o que podia estar - esforçado.

 
FORCADOS :

Tarde quase redonda do Grupo de Montemor com "Prudêncios" o que é de assinalar.
Pegaram M. V. de Carvalho á 2ª, M. Ramalho á 1ª e Vasco Carolino também á 1ª...



Entrevista do Dr. Filipe Graciosa ao "olé"...

.................






Vale a pena ler a entrevista do Dr. Luís Pombeiro ao Dr. Filipe Figueiredo (GRACIOSA)

Eu que sou uma negação como entrevistador, e que quando toca a entrevistas quase nem leio por serem quase todas um pacote de vulgaridades e preocupações com o politicamente correcto, só não fiquei surpreendido neste trabalho porque conheço bem os intervenientes, e espero com todo o interesse a segunda parte que sairá esta semana.

Pelo que se deduz da primeira parte, publicada na 5ª feira, esta entrevista é a coragem e a inteligência ao serviço da "FESTA" e da equitação...


....................

A propósito de Salvaterra- Bandeira Azul e Branca..



Vale a pena ouvir...
 

Novo jogo da Glória...

 Com a devida vénia sacámos do Observador o que publicamos de seguida..

 Novo jogo da Glória

Na sua página do Facebook, um comentador lembra-lhe educadamente que, além de outras interessantes peculiaridades “culturais”, os ciganos também acham a homossexualidade uma “anomalia”. Recue uma casa
3. Um médico qualquer considera a homossexualidade uma “anomalia”. Você assina uma petição a exigir o fuzilamento do sujeito e, posteriormente, a respectiva expulsão da Ordem. Não satisfeito, distribui por amigos, via e-mail, um texto alusivo de autoria da filha de Adriano Moreira. Avance três casas.
8. O texto da filha de Adriano Moreira contém inúmeros erros de português básico, a sugerir que, incrivelmente, ela escreve ainda pior do que o pai – e a convidar alguns dos seus amigos a usá-lo como pretexto de chacota. Recue duas casas.
17. Um candidato autárquico do PSD condena o apreço dos ciganos por subsídios. Você assina no Facebook umas linhas decisivas a chamar racista ao candidato, a Pedro Passos Coelho e a todos os eleitores do PSD que não se “demarquem”, com urgência, das pérfidas declarações. Jogue outra vez.
26. Na sua página do Facebook, um comentador lembra-lhe educadamente que, além de outras interessantes peculiaridades “culturais”, os ciganos também acham a homossexualidade uma “anomalia”. Recue uma casa.
33. Você bloqueia o comentador e explica que o seu “mural” não é um abrigo de fanáticos da extrema-direita. Avance duas casas.
38. Para não abalar as massas e as sondagens, a Protecção Civil proíbe os bombeiros de falarem dos incêndios, embora em prol da liberdade não os impeça de discutir futebol, bilhar de carambola ou artesanato turco. No seu blogue, você ri-se de todos os que notam a aproximação do regime aos métodos em vigor na Venezuela. Avance uma casa.
44. Inquirido a propósito, você não consegue explicar se se ri da comparação porque o governo português é bom e o venezuelano é mau, ou porque o português é mau e o venezuelano é bom. O facto de você admirar ambos é realmente susceptível de complicar a explicação. Recue até à casa 19.
51. Pedro Passos Coelho chama “lei da rolha” ao silêncio imposto aos bombeiros. O dr. Costa discorda e declara que “a informação devidamente organizada e estruturada é uma mais-valia para todos”, uma definição exacta da “lei da rolha” e um mandamento em vigor nos regimes que o dr. Costa venera lá no fundo, mas não muito no fundo. Munido de insultos sortidos, você invade páginas do Facebook de perigosos “neoliberais” a fim de os iluminar: a censura vigente não é – longe disso – censura. Prova? A sua inatacável opinião. Jogue três vezes.
57. O prof. Marcelo promulga a lei das quotas de género, a qual obriga as empresas a enfiarem pelo menos 33,3% de mulheres nos “quadros”, algumas delas tão brilhantes quanto os políticos (e políticas, atenção) que cozinharam isto. Você apoia a medida e tenta lançar, sem apreciável sucesso, as “hashtags” #marcelobem e #empoderamentodamulher. De seguida, pergunta à esposa se o jantar está pronto. Avance uma casa.
60. No Twitter, diversos “seguidores” lembram-no de que a “cultura cigana” tem pelas mulheres que você tanto exalta um respeito e uma consideração semelhantes aos do islão e aos do mosquito do dengue. Fique sem jogar até que todos o ultrapassem.
65. Você elimina dezassete “seguidores” por nítidas inclinações racistas, sexistas e intolerantes em geral. Sobre o islão, acrescenta não fazer sentido discutir-se o apedrejamento das adúlteras enquanto subsistir uma única vítima de violência doméstica em contexto de “heteropatriarcado” (sic). Sobre o dengue, não acrescenta nada. Avance quatro casas.
71. A revista “Sábado” descobre que o tal candidato autárquico do PSD pede igualmente “a redução drástica da presença islâmica na União Europeia”. Você, que defende o aumento drástico da presença islâmica na União Europeia, telefona para o “Fórum” da TSF a condenar a xenofobia de Pedro Passos Coelho. Avance cinco casas.
78. Infelizmente, o “Fórum” dessa manhã é tipicamente dedicado à exaltação da política económica do dr. Centeno e o moderador “Manuel Acácio” (pseudónimo) corta-lhe a palavra logo após vinte e seis minutos. Recue duas casas.
83. O dr. Rui Tavares, talvez líder de um partido imaginário, imita centenas de génios similares e acusa Pedro Passos Coelho de incitar ao ódio racial. Você partilha a acusação sob a frase “Carrega, Rui!”. Salte para a casa 92.
89. Multiplicam-se as notícias desfavoráveis à Altice, que, depois de comprar a PT, comprou a TVI e ameaça transformar a estação numa fonte de informações não devidamente organizadas e estruturadas pelo governo. O caos, portanto. Para cúmulo, o fundador da empresa é um português que, ao contrário dos verdadeiros patriotas, optou por ganhar a vida à revelia do Estado. A título solidário com os trabalhadores, você decide juntar-se a um protesto à porta da PT. Avance oito casas.
91. Como o dia estava agradável, você publicou um “post” indignado acerca da Altice, faltou ao protesto, baldou-se aos trabalhadores e preferiu a praia. Regresse à casa de partida.
93. Ferro Rodrigues, personalidade que existe para que as alforrecas não pareçam tão inúteis, jura haver “espasmos” da “direita” e da “extrema-direita” contra ele. E elabora: “Há pessoas que, quando algumas coisas mais graves acontecem, mostram que o seu conceito de democracia não é o mesmo do que o da maioria dos portugueses”. Ao almoço, você subscreve tudo a quem o queira ouvir (cerca de um empregado de mesa). Avance para a casa que lhe apetecer.
99. Aparentemente, Portugal é o único país da UE avesso a sanções à Venezuela. O governo desmente, o que provavelmente confirma o facto. Você liga para o “Opinião Pública”, da SIC Notícias, mas a meio da ligação esquece-se se concorda com o governo, com as sanções, com a ausência de sanções ou com o progressismo do sr. Maduro. Recue cinco casas. Você recusa-se a recuar, avança até ao final e ganha o jogo. Parabéns! Você alcançou a Glória. Você também demonstrou ser um rematado imbecil, mas em Portugal isso não constitui obstáculo a coisa nenhuma.

Corridas REAIS em Espanha...



A propósito da Corrida Real em Salvaterra, publicamos um apontamento sobre a história de Espanha da autoria de Moita da Cruz...



CORRIDAS REAIS ESPANHOLAS

 Com vagas referências chegaram até nós, o testemunho da primeira Corrida Real, que se conserva registada, na história do toureio, graças ao eurodito Conde de las Navas.
Foi celebrada no ano de 1135, em Varea, lugar próximo de Logronho, com o motivo da coroaçâo de Afonso VII. Segue a que teve lugar em Leâo, no dia de Sâo Joâo, em 1114, para festejar as bodas de de Garcia VI de Navarra com Dona Urraca das Astúrias, filha de Afonso VII  e de Dona Gontroda.Poderá haver outras mais antigas mas nâo há provas.
O Rei D. Carlos II de Navarra, mandou celebrar em Pamplona, no ano de 1585, as primeiras corridas de á solta (vara larga), naquela Comarca, e contratou para esse efeito um cristâo e um mouro, ambos chamados a Saragoça, aos quais pagou cinquenta libras pela sua actuaçâo.

MOITA DA CRUZ

segunda-feira, 24 de julho de 2017

Amanhã contestarei a conversa das NALGAS...


 Resultado de imagem para joao cortesao

Falta de respeito para com os toureiros merece resposta de Nalgas..

Amanhã contestarei com verdades e de mau modo, numa carta aberta a Miguel Ortega Claudio..

Crónica da Povoa...

Enquanto os prémios não forem atribuídos atendendo a vários itens como acontece na patinagem artística e na ginástica, como defendo há vários anos, haverá sempre contestação.

Vejamos este exemplo de vários itens a considerar na atribuição dum prémio:

1º - Equitação e arranjo dos cavalos.
2º - Uso de martingalas ( altamente penalizado).
3º - 1º tércio - ferros compridos.
4º- Emoção e risco.
5º - Templar e mandar.
6º - Remates das sortes.
7º - Toques nas montadas.
8º - Velocidade na execução das sortes.
9º - Reunião ao estribo.
10º Execução das sortes e remates das mesmas.
11º - lide com a respectiva escolha de terrenos e distâncias.
12º - Vantagens dadas aos toiros.

Perante estes itens a ter em conta no que toca á corrida da Póvoa, chegarão os leitores a uma conclusão mais própria e menos aleatória do que o simples gosto ou não gosto...

O curro "Vinhas", na generalidade ficaram aquém do esperado, sendo que os cavaleiros mais prejudicados com os toiros que lhe tocaram, foram: Filipe Gonçalves, M. Bastinhas e Rouxinol jr...

Ant. RIBEIRO TELLES

Depois dos compridos da ordem, iniciou e completou uma série de curtos de bom nivel, com o "Alcochete" em grande forma mostrando o grande momento que atravessa.

LUÌS ROUXINOL

Depois de colocar os compridos á tira, elevou a sua actuação numa lide em crescendo, terminando ao seu melhor nivel...

FILIPE GONÇALVES

Muito bem nos compridos sendo o último extraordinário. Nos curtos buscou a emoção com acerto, conseguindo bons ferros.
A sua actuação foi altamente prejudicada pelo o toiro saltar a trincheira, com o burburinho que se instalou na praça, e mais ainda com as outras tentativas que o morlaco fez para repetir a proeza.

J. MOURA CAETANO

Começou com compridos de luxo sendo o último verdadeiramente extraordinário de risco e emoção. Depois nos curtos, brilhou em batidas cingidas cheias de temple e mando, que fizeram chegar a emoção ás bancadas.

Nota : Sobre o temple e o mando no toureio a cavalo, falarei amanhã...

MARCOS BASTINHAS

Arriscou logo de inicio numa sorte de gaiola que não resultou porque o toiro saiu distraído, mas depois, cravou excelentes compridos dando vantagens ao toiro. Nos curtos continuou a deixar partir o toiro numa actuação em crescendo, da qual há a destacar um ferro em que recebeu o toiro quase nas tábuas...

ROUXINOL Jr

De Menos a mais com um dos piores toiros da corrida, saiu-se com toda a dignidade...

FORCADOS :

Os grupos de Montijo e Alcochete não tiveram grandes problemas a resolver,

Maria Caetano Couceiro - Brilhante...

Maria Moura Caetano Couceiro - brilhante em Aachen



Importantissima vitória de Maria Moura Caetano Couceiro  em Aachen, Alemanha, a meca do hipismo mundial, com o cavalo "Coroado AR", alcançando o 2º lugar com a super nota de 75,275% no GP Freestyle do CDI (Dressage).
Na foto ao lado, Paulo Caetano feliz pela brilhante classificação de sua filha.



Morreu J. Trigueiros de Aragão...

Morreu o insigne cavaleiro João Trigueiros de Aragão


O mestre João Trigueiros de Aragão foi aluno de Mestre Nuno de Oliveira e um dos fundadores da Escola Portuguesa de Arte equestre.

Homem de trato finissimo, mantinha relações de profunda amizade com a maioria dos cavaleiros de todas as disciplinas hípicas.
Fui seu amigo e com ele aprendi. Estivemos juntos há cerca de um ano em casa do Dr. Filipe Graciosa e constatei o que já sabia por amigos comuns, que foi o facto de nunca ter recuperado do desgosto da morte prematura do seu filho.

Paz á sua alma..

Crónica do C. Pequeno...

Uma corrida á Portuguesa teve tanta ou mais gente que na semana anterior com o chamariz de um figurão do toureio apeado mundial..


Louve-se o esforço titânico de Rui Bento para fazer renascer o toureio apeado em Portugal, desde a criação da academia do C. Pequeno até á insistência anual em trazer grandes figuras do toureio apeado a Lisboa algumas vezes sem compensações materias para a empresa..
Se é certo que antes do maestro Rui Bento ter tomado para si esta dificil missão de fazer renascer um moribundo, lembro-me desses ultimos tempos em que a corrida com matadores da MOITA era sempre a que menos público tinha, também é certo que têm surgido problemas na convalescença do doente. A infecção principal tem sido as transmissões televisivas de corridas em Espanha, que, se por um lado fazem novos aficionados, por outro lado põe completamente a nu as diferenças entre o toureio no País vizinho com os toiros em hastes limpas, picados e com o terminus natural da morte, e o toureio por cá sem estas três coisas, que faz lembrar fazer amor com preservativo, que embora sendo bom não é a mesma coisa...

Vamos agora falar da corrida Própriamente dita.
O bom curro de Murteira Grave deu seriedade ao espectáculo.

L. ROUXINOL JR

Bem no toiro a sós como era de esperar, mostrando  ainda que com o nervosismo típico do dia de alternativa, que se pode e deve contar com ele.. ..

ANT: RIBEIRO TELLES

Outra actuação excelente a juntar a uma temporada fantástica...

L. ROUXINOL

Brindou o filho com uma actuação com a sua marca, plena de entrega e toureria...

M. TELLES BASTOS

Cumpriu dentro do seu estilo...

NOTA : O toureio a duo nos dois toiros a isso destinados, não resultou em pleno...

FORCADOS:

Triunfou o Grp de Santarém: 
Pegaram, Lourenço Ribeiro, ao primeiro intento, Filipe Graciosa, também ao primeiro intento, dando duas voltas à arena como prémio a um pegão, e, Luís Seabra, à segunda.

GRP de Coruche :

Tocou-lhes o pior lote mmas com toda a dignidade pegaram ao quinto intento Pedro Coelho, Paulo Oliveira, à primeira e, António Tomás à sua primeira tentativa, dobrando no entanto, as quatro primeiras de José Marques.

O "Toiro Toiro" em Salvaterra...

A dignidade do "toiro toiro" volta a Salvaterra, numa corrida também marcada pela presença do herdeiro do trono de Portugal...


Resultado de imagem para corrida real em salvaterra

Mano a mano Ventura-Leonardo -Ventura em ombros...

Diego Ventura saiu em ombros da Praça de Santander, depois de tourear mais um mano a mano com Leonardo Hernandez.
Numa tarde com a praça cheia e em que os dois rejoneadores estiveram ao seu melhor nivel, só Ventura saiu em ombros tendo Leonardo cortado uma orelha perdendo a saída em mobros pelo uso do rojão...

Veja este apontamento de Ventura em Santander


domingo, 23 de julho de 2017

Amanhã - Crónicas do C. Pequeno, Povoa e Figueira......

Amabhã não perca as crónicas do C. Pequeno, Povoa e Figueira da Foz por João Cortesão...

Disse um dia Jozé Zuquete...

José Zuquete escreveu um dia esta crónica sempre actual...

Dizemos nós : Falou quem sabia...



"Na era do atrevimento


A propósito da sorte cambiada

É necessária uma enorme ligação para que sincronizados, cavalo e cavaleiro executem a sorte com a perfeição desejada. Daqui se depreende que só um cavaleiro que mande com as pernas, isto é, que esteja bem a cavalo, poderá tirar partido da sorte cambiada, que se torna espectacular quando é perfeitamente executada. E quando digo perfeitamente executada pressuponho a inclusão do temple e o encurvar do cavalo no movimento após provocar a mudança da trajectória do toiro. E isto tanto se pode executar num curto espaço de terreno como alongando esses mesmos terrenos. Esta sorte cambiada que obriga a ir ao piton contrário é difícil, senão veja-se o pouco número dos que a praticam actualmente na perfeição. Era a sorte de marca de José Mestre Batista, e nunca como agora é necessário cultivar essa sorte para bem da nossa festa.
É realmente bastante mais fácil executar sortes de violino e fazer uma espécie de piruetas imitando “nuestros hermanos” e por vezes fazendo uma espécie de andar de lado com a garupa perto da cara dos toiros, e tapando a saída aos cavalos com o correr das tábuas. Ora, tourear, é o que se faz com a cara do cavalo virada para o toiro, quando se atingem situações que podem provocar perigo e consequente emoção.
Sem emoção não há festa, por isso ela anda tão por baixo entre nós. Seria imprescindível que os críticos fossem didácticos, mas infelizmente e salvo algumas poucas honrosas excepções, os escribas que por aí andam não possuem conhecimentos que lhe permitam analisar com serenidade e seriedade o que vão vendo nas nossas praças. Daí restar-lhes o atrevimento...

Zé Zuquete